Back to our cover

Subject: Shame of US (my country)


Posted by Shame of US (my country)
On Monday, April 22, 2002 at 11:54:05

Message:
Pedido de afastamento de Bustani já está feito



Haia - Em uma reunião tensa hoje, na sede da Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq) em Haia, os Estados Unidos apresentaram uma resolução pedindo o afastamento "imediato" do brasileiro José Maurício Bustani do cargo de diretor da entidade.

A única acusação ao brasileiro é de que sua administração teria levado à Opaq ao caos financeiro e que, portanto, os norte-americanos não teriam mais confiança no brasileiro.

Em Haia, porém, não é segredo que o descontentamento dos Estados Unidos com Bustani ocorre pela polítca independente adotada pelo diplomata brasileiro, contrariando as intenções de Washington com relação ao Iraque.

A proposta norte-americana de retirar Bustani foi atacada pelo Brasil, que alegou que o brasileiro não teria cometido nenhum crime e que, por isso, o País não aceitaria sua saída. Com a recusa do Brasil em aceitar a proposta americana, a permanência de Bustani terá que ser votada pelos 145 países-membros da Opaq, o que poderá ocorrer entre amanhã e terça-feira. Por enquanto, os Estados Unidos contam com o apoio de países como a Albânia, Austrália, Bélgica, Bulgária, Alemanha, Itália, Japão, Reino Unido e outros 16 países.

Até o final da tarde de hoje, nenhum país latino-americano votaria a favor dos Estados Unidos, mas a pressão sobre os governos da região cresce a cada dia para que se distanciem da posição do Brasil.

Luiz Augusto de Araújo Castro, embaixador do Brasil, afirmou que, nos últimos dias, os diplomatas brasileiros em todo o mundo mantiveram contato com os governos explicando a situação de Bustani e a importância de mantê-lo no cargo até o final de seu mandato. "É a credibilidade do sistema multilateral que está em jogo", afirmou o diplomata.

Já Bustani continua a defender o "diálogo e cooperação" como forma de solucionar o impasse. O brasileiro afirmou que não consentirá que um só país determine sua saída e que o tratamento igualitário entre os países está sendo ameaçado pela "obediência inquestionável" a um só governo.

Protesto Solitário - Enquanto os países se reuniam para debater o futuro de Bustani, Luciano Buratto, um estudante brasileiro de 25 anos, protestava sozinho em frente à sala de reunião. Buratto disse que fez campanha nos dias anteriores em bares da cidade distribuindo panfletos sobre o comportamento dos Estados Unidos. Hoje, em Haia, o estudante carregava um cartaz que dizia: "Bustani, orgulho dos brasileiros".

Jamil Chade


Name:
Email:
Notify me when I get a reply to my message:Yes  No
Subject:
Message:

Back to our cover